Plano de Segurança e Cidadania prevê participação da comunidade

Publicada em 26/04/2015 às 16:42

Embora sendo constitucionalmente papel do Estado e da União, a administração municipal e a comunidade precisam reforçar o trabalho de segurança com uma visão renovada de serviços preventivos. Esse é o princípio que orienta a formatação do Plano Municipal de Segurança Pública e Cidadania, que teve neste domingo (26) o quinto de seus 22 encontros realizado na escola Deodato Jansk, no Jardim Tarumã.

CONHEÇA O PLANO NA ÍNTEGRA

CONFIRA O CALENDÁRIO DAS AUDIÊNCIAS

LEIA TAMBÉM
Oito estabelecimentos são notificados após operação

O coordenador Zeca Pires explica o plano: "Município e comunidade não podem se omitir nesse tema"

O coordenador Zeca Pires explica o plano: “Município e comunidade não podem se omitir nesse tema”

“Já tivemos a queda de alguns números de violência a partir da instalação do Gabinete de Gestão Integrada do Município em 2013. Esse plano busca melhorar esse apoio direto a questões dessa área, com o aumento do diálogo entre todos os setores”, afirmou José Carlos Pires, coordenador executivo do GGIM.

Da busca de espaços mais adequados para o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar, a Polícia Civil e a Guarda Municipal, até a articulação com a rede de vigilantes noturnos, porteiros e grupos de vigilância patrimonial, o trabalho espera também fomentar meios de cooperação da comunidade, como a vizinhança solidária e o pleito de uma delegacia da Polícia Federal na cidade.

“É claro que esse campo depende muito das outras esferas de governo, como é o caso do sistema de vigilância com câmaras OCR na entrada e saída das cidades da Aglomeração Urbana de Jundiaí, anunciada no ano passado pelo governo do Estado. Quando for implantado, será uma nova ferramenta para a cooperação entre os órgãos do setor”, lembrou Pires.

A reunião ocorreu na escola municipal Deodato Jansk: construção conjunta com moradores e técnicos

A reunião ocorreu na escola municipal Deodato Jansk: construção conjunta com moradores e técnicos

O plano, como uma política pública, contará com um conselho, que será implementado ainda neste semestre. Para muitas pessoas que acompanham a discussão, o conceito que ainda existe sobre a segurança pública precisa ser atualizado. “Muitos reduzem tudo ao aspecto repressivo. Sabemos de países que reduziram o crime elevando o papel da educação. São muitos os aspectos desse problema em que a comunidade precisa agir”, comentou José Roberto Ferraz, comandante da Guarda Municipal.

Um desses aspectos, debatidos no plano, é a conservação de espaços públicos e também questões como a iluminação da cidade, que, no segundo semestre, passa para a esfera municipal.

O assunto também chama a atenção da Câmara Municipal, que esteve presente ao encontro com os vereadores Márcio Cabeleireiro e Zé Dias.


José Arnaldo de Oliveira
Fotos: Alessandro Rosman


Link original: https://jundiai.sp.gov.br/noticias/2015/04/26/plano-de-seguranca-preve-participacao-da-comunidade/