Prefeitura de Jundiaí | www.jundiai.sp.gov.br

Definida comissão preparatória da Conferência da Cidade do sábado (27)

Publicada em 05/08/2016 às 16:38

A 5ª Conferência Municipal da Cidade, agendada para o sábado (27) no auditório do Complexo Argos, das 8h às 17h, já teve definida a comissão preparatória que vai ser responsável pelo regimento interno dos procedimentos, que incluem debates e também a eleição para o novo Conselho Municipal de Política Territorial (CMPT), como previsto na nova lei 8.683 (Plano Diretor).

“O procedimento faz parte do âmbito de gestão democrática da cidade, em que o conselho vai contar também com o suporte de um novo sistema de dados de planejamento e gestão e de uma nova integração interssetorial dos projetos das diversas pastas”, explica a secretária de Planejamento e Meio Ambiente, Daniela da Camara Sutti.

LEIA TAMBÉM
Cães que vivem na Serra têm coleta de material para exame na quinta (11)

Técnicos de diversas pastas em oficina de integração de dados

Técnicos de diversas pastas em oficina de integração de dados

A formação da comissão preparatória segue o modelo adotado para a conferência estadual. Pelo poder público são cinco integrantes – tendo além da própria secretária os nomes: de Jean Camoleze (Cultura), Sérgio Mesquita Pompermayer (Agricultura, Abastecimento e Turismo), Tatiana Pimenta (Fumas) e Cláudia Debroy (DAE).

Pelo setor de movimentos populares estão três integrantes, sendo Sérgio Eduardo Aguiar, Francisco Jonathan Rolim e Sílvio Duarte.

Os demais segmentos são de ONGs e coletivos, com Daniel Motta; de entidades sindicais de trabalhadores, com Daniel Silva; de empresários, com Nivaldo Callegari (tendo Henrique Losqui como suplente); e de entidades profissionais, acadêmicas e de pesquisa, com Sílvio Drezza.

O grupo prevê indicar o regimento interno do evento na quarta-feira (10), inclusive o processo de inscrições.

Seguindo a resolução 19 do Conselho Nacional das Cidades, a conferência vai ter como tema “a função social da cidade e da propriedade” e vai também apontar delegados para a conferência estadual.

Comissão inicia preparativos da Conferência da Cidade

Comissão inicia preparativos da Conferência da Cidade

Novo Conselho
O CMPT, que substitui de maneira ampliada o anterior Conselho do Plano Diretor, será um colegiado de caráter consultivo e deliberativo em matérias de natureza urbanística e de política urbana e rural com a finalidade de formular o estabelecimento, controle e avaliação da Política Municipal de Desenvolvimento Urbano e Rural, conforme definido pelos artigos 499 e 500 da nova legislação.

Vai ser formado com mandato de três anos e de maneira tripartite por 36 integrantes, sendo 12 membros de órgãos públicos indicados pela administração municipal, 12 representantes de moradores de cinco regiões e mais duas zonas rurais e de proteção ambiental (definidas pelo mapa 14) e mais 12 representantes de entidades da sociedade civil organizada, além de dois assentos com direito a voz de dois representantes de órgãos estaduais com atuação regional.

Novo suporte
A criação de um sistema integrado de dados municipais georreferenciados em Jundiaí, por exemplo, é uma das novas etapas também exigidas pela lei. A medida visa mapas mais completos e interativos e é considerada um avanço tecnológico nos preparativos de implantação ao lado da 5ª Conferência Municipal da Cidade no sábado (27).

Uma oficina sobre o tema reuniu, na Escola de Governo e Gestão, técnicos da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, da Companhia de Informática de Jundiaí (Cijun), das secretarias de Obras, Serviços Públicos, Finanças e de Assistência e Desenvolvimento Social (Semads) e da DAE S/A.

O software Quantum GIS é a base do evento, coordenado pela consultoria Mundo Geo.

“O georreferenciamento é essencial para a gestão das cidades”, comentou Juliana Dallbelo, da Secretaria de Obras. A ferramenta deve complementar o Sistema Integrado de Informações Municipais (SIIM) no aspecto de integração e cruzamento de dados em mapas, como observou Márcio Carpi, da Cijun.

Outras áreas também apontam avanços. De acordo com Thiago Pinto Pires, do Jardim Botânico, o aspecto ambiental pode usar a ferramenta para, por exemplo, inserir a localização de pontos de coletas de sementes ou de espécies raras. No trabalho com questões sociais, o mapeamento de áreas de vulnerabilidade pode melhorar as ações como observou Rodrigo dos Santos Oliveira, da Semads.

Para Eliane Yuda Canela, da DAE, o benefício da versão “open source” utilizada no encontro é a maior possibilidade de integração. O uso conjunto dessa ferramenta tecnológica também deve gerar benefícios diretos à comunidade pelos dados mais precisos como afirmou Patrícia Correa, da Secretaria de Finanças.

A diretora administrativa Telma Bernardes Pinto, da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, destaca que a capacitação de servidores com atribuições e competências relacionadas ao desenvolvimento desses trabalhos visa criar as condições efetivas de sua aplicação. Já o assessor Gustavo Faria Diniz reforçou ser uma ferramenta essencial para o sistema de planejamento e gestão do desenvolvimento territorial, exigido pela nova lei.

O resumo do arquiteto Alexandre Torricelli do Amaral é que os avanços definidos para o planejamento e gestão em Jundiaí com o novo plano passam de mapas estáticos para mapas digitais, com mais camadas de dados interativos.

Integração
O trabalho de prospecção de projetos a serem integrados no novo Plano Diretor está em andamento e já contou com reuniões da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente com as secretarias de Serviços Públicos, Transportes, DAE e Fumas. Foram tratados os andamentos dos subprogramas de planos de água e esgotos, plano de resíduos sólidos e plano de drenagem (que devem ser reunidos no eixo de saneamento básico), de mobilidade e de habitação social e sua integração aos instrumentos aprovados nessa legislação.

Objetivos
Os doze objetivos estratégicos dessa lei municipal 8.683 são a preservação e recuperação de ecossistemas hídricos e naturais, a proteção e recuperação de bens de interesse histórico e cultural, a proteção e promoção do desenvolvimento rural, o fortalecimento da base econômica local, a melhoria na mobilidade e acessibilidade, a regulação do uso e ocupação do solo e da produção imobiliária, a contenção da urbanização desordenada, o aproveitamento de imóveis ociosos em áreas consolidadas, a melhoria de condições urbanas dos bairros, a provisão habitacional de interesse social, a urbanização e regularização de assentamentos e a gestão democrática nos rumos da cidade.

 

José Arnaldo de Oliveira
Fotos: Dorival Pinheiro Filho


Link original: https://jundiai.sp.gov.br/noticias/2016/08/05/definida-comissao-preparatoria-da-conferencia-da-cidade-do-sabado-27/

Leia mais sobre , , , , , , , , , ,