Serra do Japi retoma temporada de pesquisa

Publicada em 07/10/2016 às 16:23

Como ocorre a cada ano na temporada primavera-verão, a Reserva Biológica Municipal da Serra do Japi começa a receber novamente grupos de pesquisa científica. Embora ocorram ao longo do ano, essa presença coincide com a temporada de reprodução e multiplicação da maioria dos animais e plantas da mata atlântica.

A agenda atual já teve um grupo da Universidade Federal de Integração Latino-Americana (Unila) e conta agora com um grupo de 20 pesquisadores de pós-graduação e orientadores do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), de quinta (6) a esta quinta (13), outro grupo da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), de segunda (17) a sexta-feira (21), e outro da Universidade Federal do ABC, de 7 a 13 de novembro. Também vai ocorrer um treinamento especial de resgate com cães organizado pela Guarda Municipal, em novembro.

LEIA TAMBÉM
Reserva da Serra do Japi prepara novo elemento de educação ambiental

Reserva Biológica da Serra do Japi: fonte de conhecimentos

Reserva Biológica da Serra do Japi: fonte de conhecimentos

A Serra do Japi reforçou seu papel de referência científica sobre ecologia com a criação da Reserva Biológica Municipal, em 1991 (dentro da área tombada), com a criação da Base Ecológica no mesmo ano e com a publicação do livro “História Natural da Serra do Japi”, pela Editora da Unicamp, em 1992.

De acordo com diretor da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, Marcelo Pilon, a pesquisa científica é uma ferramenta essencial para aprimorar o conhecimento os cuidados com todo o território de gestão que deve revisar a médio prazo sua legislação (lei 417/2004) depois que o mesmo foi feito com todo o município no Plano Diretor (lei 8.683/2016). “A pressão de ocupação da serra e seu entorno continua muito presente”, afirma.

A mesma análise é feita pelo superintendente da Fundação Serra do Japi, Flávio Gramolelli Júnior, observando que o tema deve ser cada vez mais valorizado por toda a sociedade.

No grupo de pesquisadores da Unicamp, por exemplo, estão pós-graduandos de origem internacional. A Serra do Japi, que tem suas maiores áreas em Jundiaí e Cabreúva mas também em Cajamar e Pirapora do Bom Jesus, está presente em publicações científicas de diversos idiomas e países.

José Arnaldo de Oliveira
Foto: Arquivo PMJ


Link original: https://jundiai.sp.gov.br/noticias/2016/10/07/serra-do-japi-retoma-temporada-de-pesquisa/