Certificação Internacional de Vacina pode ser emitido via internet

Publicada em 06/02/2019 às 17:27

Vacinação contra febre amarela é exigida em vários países, por isso, certificação deve ser feita por quem fará viagens internacionais

A emissão do Certificado Internacional de Vacina ou Profilaxia (CIVP) contra febre amarela pode ser feito a partir do portal da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Em Jundiaí, além da novidade, o posto fixo na Unidade Básica de Saúde (UBS) Anhangabaú é mantido com o atendimento feito de forma agendada pelo sistema nacional. O certificado é único, válido por toda a vida.

O CIVP é o documento que comprova a vacinação contra doenças, conforme definido no Regulamento Sanitário Internacional e somente pessoas que estão viajando com destino ou escala/conexão em países  que exigem a vacinação é que precisam do documento. Para solicitar a emissão é necessário que o interessado faça o cadastro no Portal de Serviços do Governo Federal tenha em mãos o Cartão Nacional de Vacinação (com data de administração da dose, fabricante e lote da vacina), assinatura do profissional que realizou a aplicação, identificação da UBS onde ocorreu a aplicação) e documento de identidade original com foto (RG, Passaporte, Carteira Nacional de Habilitação entre outros), faça a anexação das cópias digitalizadas. O documento será encaminhado pelo órgão federal, após a validação dos documentos, em até 7 dias.

De acordo com Maria do Carmo Possidente, enfermeira da Vigilância Epidemiológica (VE), caso o atendimento virtual não seja possível, o serviço no posto fixo da UBS Anhangabaú continua a atender os usuário, a partir do pré-cadastro no site viajante.anvisa.gov.br e agendamento de data e horário. É necessário apresentar o comprovante de residência em Jundiaí, passagem ou voucher, caderneta ou comprovante da vacinação contra febre amarela e documento oficial com foto.

Assessoria de Imprensa
Fotos: Fotógrafos PMJ


Link original: https://jundiai.sp.gov.br/noticias/2019/02/06/certificacao-internacional-de-vacina-pode-ser-emitido-via-internet/