Em observância ao período eleitoral, este canal mantém estático conteúdos anteriores à data 15/08, sendo atualizado somente por matérias relacionadas ao combate à Covid-19, ou de urgência social.

Palestra em EMEB aborda inclusão e preconceito racial

Publicada em 12/04/2013 às 14:12

A EMEB Luís de Carvalho, no Jardim Esplanada, iniciou o projeto “Tudo que semeamos, certamente colhemos”, que vai trabalhar a pluralidade cultural por meio de orientações a favor do respeito, boa convivência com as pessoas e suas diferenças de raça, religião, deficiência e escolhas.

Leia mais
Primeira-dama conhece o trabalho do Cobema

Educação promove atividade de capacitação no Polytheama
Secretário de Educação fala sobre a pasta

Pais aprovam oportunidade para discussão do tema

Pais aprovam oportunidade para discussão do tema

“Vamos atuar com os pais e as crianças, porque, cada vez mais, recebemos crianças com deficiências em nossa unidade. Precisamos estimular e lutar pelo respeito mútuo, porque as crianças reproduzem na escola o que aprendem em casa, na televisão e na rua”, explica a coordenadora pedagógica Janieide da Silva Neubauer.

A primeira atividade do projeto aconteceu quarta-feira (10), com a palestra de Vanderlei Victorino e Reinaldo Fernandes, responsáveis pelas coordenadorias da Igualdade Racial e Apoio à Pessoa com Deficiência, respectivamente. Pais e mães das 200 crianças atendidas na escola, de 3 a 5 anos, gostaram da possibilidade de conversar sobre bullying e preconceito.

Crianças aprendem o respeito ao próximo

Crianças aprendem o respeito ao próximo

“Todos nós somos diferentes e temos que conviver em harmonia e paz. Dessa forma é possível conquistar espaço para a inclusão das crianças com deficiência, por exemplo, porque na diversidade todos ganham, crescem e aprendem a valorizar a vida”, afirma Fernandes.

Igualdade
Para Victorino, os pais precisam ter atenção na educação que passam aos filhos. “Através da promoção da igualdade, podemos acabar com o preconceito que as crianças sofrem na infância. Isso marca as vidas delas para sempre e atrapalha na busca de uma boa autoestima. O bullying racial é perverso porque fere a alma da criança.”

Segundo ele, estas oportunidades são importantes para que a história afro-brasileira seja incorporada nas escolas e o assunto seja debatido. “Estamos à disposição para que outras unidades possam ampliar a discussão entre as famílias e os alunos. É importante que o assunto faça parte da realidade de todos nós.”

Por Flávia Alves
Fotos: Divulgação


Link original: https://jundiai.sp.gov.br/noticias/2013/04/12/palestra-em-emeb-aborda-inclusao-e-preconceito-racial/
Leia mais sobre

Galeria

Baixe as fotos desta notícia na resolução original