Palestra mostra árvore genealógica no patrimônio coletivo

Publicada em 02/02/2015 às 18:00

O ciclo social do projeto Ponte Torta continua na sexta-feira (6) com uma palestra curiosa no auditório da Biblioteca Municipal, a partir das 14h. Trata-se do papel da árvore genealógica, geralmente usada como mecanismo de autoconhecimento, para o efetivo empoderamento das pessoas em relação ao patrimônio histórico e preservação da memória.

“Esse evento é parte do empoderamento proposto pelo projeto para o conceito de zeladoria, da comunidade cuidar de seu próprio patrimônio”, comenta a secretária Daniela da Camara Sutti, de Planejamento e Meio Ambiente.

MAIS PONTE TORTA
Oficina da Ponte Torta encanta crianças na Festa da Uva

Comunidade deve entender patrimônio, dizem historiadores
Oficina lúdica aproxima Jardim Novo Horizonte e Ponte Torta

Luciano Rossi Filho narrou hist[órias de seu pai usando bonde na Ponte Torta

Luciano Rossi Filho narrou histórias de seu pai usando bonde na Ponte Torta

Um bom exemplo da importância dessa conexão entre a memória das pessoas e de bairros ou cidades está no depoimento prestado por Luciano Rossi Filho para o acervo do projeto, durante atividades desenvolvidas no domingo (1) na Festa das Uva de Jundiaí. Ele narrou que seu pai, conhecido na cidade como “Lúcio Bananeiro”, atravessou muitas vezes a ponte ainda aterrada com um bonde puxado por burros. O vídeo estará brevemente disponível.

É a importância desse elemento imaterial, como a memória das famílias, que embasa trabalhos da área de história oral e também a importância da chamada árvore genealógica para o autoconhecimento (e também para a construção da história coletiva). O foco será uma abordagem sobre como usar essa técnica de produção da “árvore” familiar.

O trabalho será desenvolvido pelo Estúdio Sarasá. De acordo com a arquiteta Andrea Rosa Lux, da equipe da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, outros interessados em gravar depoimentos sobre a antiga ponte também serão atendidos.

Visita técnica à Ponte Torta
Além da reflexão sobre zeladoria, a parte material de conservação também está avançando. Também na sexta-feira (6), a partir das 10h, grupos de interessados poderão participar de visita técnica às ações que estão sendo desenvolvidas na própria Ponte Torta. Orientados pelo conservador/restaurador Toninho Sarasá, os visitantes poderão conhecer as técnicas e saberes usados para a conservação do monumento, com relatos dos fazeres tradicionais usados no século 19 e os materiais adotados de acordo com essas origens.

José Arnaldo de Oliveira
Foto: Fotógrafos PJ


Link original: https://jundiai.sp.gov.br/noticias/2015/02/02/palestra-mostra-papel-de-arvore-genealogica-no-patrimonio-coletivo/