Em observância ao período eleitoral, este canal mantém estático conteúdos anteriores à data 15/08, sendo atualizado somente por matérias relacionadas ao combate à Covid-19, ou de urgência social.

Programa São Paulo Amigo do Idoso faz oficinas de diagnóstico

Publicada em 12/04/2016 às 18:02

A terceira rodada da oficina “Ideia Gestor – Instrumento de Diagnóstico do Envelhecimento Ativo”, do Programa São Paulo Amigo do Idoso, foi nesta terça-feira (12), na sede do Fundo Social de Solidariedade (Funss). A atividade, coordenada pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Semads) com o apoio do Conselho Municipal do Idoso, tem como objetivo traçar o diagnóstico ativo do envelhecimento na cidade.

Participaram da oficina representantes do poder público e sociedade civil, que responderam questões ligadas ao idoso a partir de quatro eixos estabelecidos pelo programa: proteção, educação, saúde e participação. A próxima fase vai ouvir os idosos. O levantamento vai ser enviado para a Diretoria Regional de Assistência e Desenvolvimento Social (Drads).

LEIA TAMBÉM
Oficinas abordam Marco Regulatório do Terceiro Setor
Centro Pop realiza bate-papo com moradores em situação de rua
Fórum de sexualidade na adolescência lança novo olhar sobre tema

Terceira rodada da oficina reuniu representantes do poder público e sociedade civil

Terceira rodada da oficina reuniu representantes do poder público e sociedade civil

As oficinas compreendem à segunda etapa do programa, que tem como desfecho a conquista do Selo Pleno do Programa São Paulo Amigo do Idoso e que habilita o município a receber recursos do Fundo Estadual do Idoso.

Segundo a coordenadora do Centro de Referência do Idoso de Jundiaí (Criju) e interlocutora do programa no município, Eliana Dirce Mauro, a cidade caminha para a conquista do selo pleno. “Jundiaí tem várias ações voltadas para o idoso e, com isso, já sai na frente. Ao aderir ao programa, o município mostra que está pensando na população idosa, que está crescendo.”

O vice-presidente do Conselho Municipal do Idoso, o guarda municipal Denis Fernando Berni, destaca a importância do diagnóstico. “Toda informação é útil para desenvolver políticas de proteção do idoso em áreas como assistência social, saúde e educação. Jundiaí já tem uma boa rede de auxílio, mas tem potencial para melhorar ainda mais.”

Sobre o programa
O Programa São Paulo Amigo do Idosos reúne ações de inclusão social, desenvolvimento, atenção à saúde, educação e lazer. São 11 Secretarias de Estado envolvidas, sob a coordenação da Secretaria de Desenvolvimento Social. 637 municípios assinaram o Termo de Adesão ao programa, comprometendo-se a realizar as ações previstas.

Para incentivar os municípios a se associarem ao Estado no trabalho de promoção da qualidade de vida da terceira idade, foi criado o Selo Município Amigo do Idoso. Para terem direito a ele, os prefeitos devem cumprir quatro etapas que começam com a adesão ao Programa até chegar ao Selo Pleno. Na sequência, as cidades devem criar o Conselho Municipal do Idoso, cujo papel é fiscalizador.

As prefeituras também devem comprometer-se a traçar plano de metas, fazer o diagnóstico das políticas já existentes e incluir ações nos Planos Municipais de Saúde e Assistência Social, por exemplo.

Depois, os municípios têm de apresentar avaliação e diagnóstico dos benefícios implantados previstos no programa. Aqueles que se comprometerem com os critérios para a aquisição do Selo Pleno recebem recursos do Fundo Estadual do Idoso. O Programa São Paulo Amigo do Idoso também prevê o repasse de recursos para construção de dois importantes equipamentos da área de assistência social: Centro Novo Dia e Centro Conviver.

Viviane Rodrigues
Foto: Dorival Pinheiro Filho


Link original: https://jundiai.sp.gov.br/noticias/2016/04/12/programa-sao-paulo-amigo-do-idoso-faz-oficinas-de-diagnostico/

Galeria

Baixe as fotos desta notícia na resolução original